Grupo Sarney já começa a se digladiar pelo espólio para 2018

muradjoaoalbertoRicardo Murad e João Alberto já começam a brigar pelo espaço político do grupo Sarney para as eleições de 2018. Com a derrota, as saídas de cena de Sarney e Roseana e o esfacelamento do grupo a briga para ser a liderança para a próxima eleição estadual começou.

O secretário de saúde Ricardo Murad disse a O Imparcial que buscará se consolidar como o nome do grupo Sarney para concorrer à eleição de governador. “Buscarei viabilizar meu nome, vou trabalhar nos próximos anos para que eu possa ser candidato”, afirmou.

O presidente do PMDB no Maranhão, João Alberto, foi procurado por O Imparcial para comentar o assunto, ele respondeu que desconhecia o interesse de Ricardo Murad e que acredita não ser o momento de discutir algo que ainda vai ocorrer daqui quatro anos.

O deputado estadual Roberto Costa, principal aliado de Alberto na Assembleia, foi mais duro, afirmando que se houvesse a discussão dentro do partido, Ricardo não venceria para ser candidato. “Esse é um projeto pessoal do Ricardo e não está em discussão no PMDB e não leva, nesse momento. Ele tem toda a legitimidade de pleitear, como cidadão, mas dentro do PMDB esse não é o posicionamento”, afirmou.

Projeto do Parque Empresarial de Caxias é apresentado para empresários

solenidade de apresentação do projeto do parque industrialO prefeito de Caxias, Leonardo Coutinho, recebeu hoje (10) em nossa cidade o secretário de Estado de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Maurício Macêdo, o representante do SINDICOCAL, Edivan Amâncio e vários empresários locais e de cidades vizinhas em uma solenidade de apresentação do projeto do Parque Empresarial de Caxias, cuja obra está em fase final de construção.

O encontro aconteceu no espaço Assunção Eventos e serviu para que todos conhecessem melhor o ousado projeto, fruto de parceria entre o Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Sedinc) e a Prefeitura de Caxias, que doou o terreno para o empreendimento, localizado às margens da BR-316. A previsão é que a obra seja concluída até o fim deste mês.

De acordo com o secretário Maurício Macêdo, a escolha da cidade de Caxias para receber um empreendimento deste porte deu-se em função das vantagens competitivas que o município dispõe para o desenvolvimento de várias atividades econômicas, como recursos naturais, água em abundância, além de localização geográfica privilegiada, aliadas à infraestrutura, logística e de energia elétrica.

Canteiro de obras do Parque Industrial

Canteiro de obras do Parque Industrial

Para o prefeito Léo Coutinho, o Parque Empresarial de Caxias representa um moderno conceito de gestão compartilhada entre poder público e empresários, o que caracteriza a parceria público/privada. “Queremos com esse grande empreendimento atrair o máximo possível de empresas para nossa cidade e assim dinamizar a economia local, gerar empregos e renda para a população”, destacou o prefeito de Caxias Leonardo Coutinho.

Durante a reunião, o secretário Maurício Macêdo apresentou detalhes do projeto e como deverá funcionar a gestão do Parque Empresarial, quando entrar na fase de operação. Em seguida todos os presentes foram convidados para conhecer de perto as obras do Parque Empresarial de Caxias.

Saiba mais:

O Parque Empresarial se situa à margem esquerda da BR-316, sentido Caxias/Teresina, entre o km 563 e km 564. O complexo industrial fica distante da zona urbana de Caxias cerca de 9,30 km.

A Prefeitura de Caxias viabilizou 100 hectares para a construção do Parque. Serão 44 lotes, com os tamanhos variando de 405,80 m² a 38.100,00 m².

A infraestrutura do Parque Empresarial contará com: poço tubular; reservatório elevado, para armazenamento de água; rede de distribuição de água; subestação aérea de energia; rede de distribuição de energia; guarita; prédio para funcionar a administração do empreendimento; pavimentação de ruas e avenidas; drenagem – meio fio e sarjeta; sinalização horizontal e vertical.

O valor total do investimento é de R$ 8.579.919,39, financiado por: BNDES, SEDINC e Governo do Estado do Maranhão, com total apoio da Prefeitura de Caxias.

Alex Oliveira de Souza será presidente da Fapema

alexoliveiraO governador eleito Flávio Dino (PCdoB) anunciou mais um nome de sua equipe de governo. O professor da Universidade Estadual do Maranhão, Alex Oliveira Souza, será o presidente da Fapema (Fundação de Amparo á Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão).

Oliveira de Souza é doutor pela Universidade Paris-Est e Mestre em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Federal de Pernambuco. O futuro presidente da Fapema tem ligações com movimentos sociais e articulação internacional. Ele leciona há 19 anos no curso de Arquitetura da Uema. Alex também é vice-presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Maranhão.

 

TJ pede ao governo orçamento para pagar reposição a servidores

Presidente do TJ, Cleonice Freire, quer a garantia dos R$18,8 milhões para pagar reajuste

Presidente do TJ, Cleonice Freire, quer a garantia dos R$18,8 milhões para pagar reajuste

O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) solicitou ao Executivo Estadual, nesta segunda-feira (10), a liberação do orçamento necessário ao cumprimento da reposição salarial de 4,3% aos servidores do Poder Judiciário.

Em ofício encaminhado ao secretário de Planejamento e Orçamento do Estado, João Bernardo Bringel, a vice-presidente do TJMA, Anildes Cruz, informa a promulgação da Lei nº 10.156/14, que garante a reposição de 4,3% aos servidores em geral e justifica o pedido “em razão da inexistência de previsão orçamentária” para a referida despesa.

Segundo informações da Diretoria Financeira do Tribunal, o montante necessário para a implantação do reajuste, é de R$ 18.897.110,44, valor que inclui a gratificação natalina, um terço das férias e os encargos patronais, no período de janeiro a dezembro de 2014.

PROJETO – A lei que dispõe sobre reajuste de 4,3% nos vencimentos dos cargos efetivos, estáveis e comissionados e funções gratificadas do quadro de pessoal do Poder Judiciário, com efeitos financeiros retroativos a 1º de janeiro de 2014, resultou de anteprojeto aprovada por unanimidade pelo Órgão Especial do TJMA em sessão administrativa de 18 de junho deste ano.

Naquela data, a relatora do processo, desembargadora Cleonice Freire, presidente do TJMA, considerou que a recomposição das perdas inflacionárias da remuneração dos servidores públicos é um direito previsto na Constituição Federal.

PCdoB de Vargem Grande quer filiar sarneysta para ser candidato a prefeito

Na ordem: ex-prefeito Miguel Fernandes, Hildo Rocha,  prefeito Edvaldo Nascimento e Jorges Fortes. Grupo Sarney tenta se manter no poder em Vargem Grande pela oposição

Na ordem: ex-prefeito Miguel Fernandes, Hildo Rocha, prefeito Edvaldo Nascimento e Jorge Fortes. Grupo Sarney tenta se manter no poder em Vargem Grande pela oposição

O presidente do PCdoB de Vargem Grande, Clécio Coelho, está tentando filiar na legenda comunista o presidente da Agerp ( Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão), Jorge Fortes, para ser candidato a prefeito do município pela legenda. O convite oficial foi feito na última sexta-feira (7).

Jorge Fortes, que ainda está filiado ao PMDB, se aproxima da oposição e tenta continuar na presidência da Agerp e se cacifar para disputar a prefeitura de vargem Grande pelo grupo dinista. Apesar disso, fez campanha para Edinho Lobão (governador), Gastão Vieira (senador), Hildo Rocha (deputado federal) e Fábio Braga (deputado estadual).

Na cidade, quem fez campanha para Flávio Dino e Roberto Rocha foi o grupo de Wellington Leite (PSDB), que irá se filiar ao PSB a convite de Rocha.

O aliado de Fortes, Antônio Aurélio (PRB), foi eleito presidente da Câmara Municipal de vargem Grande na última sexta-feira (7). Na articulação liderada pelo presidente da Agerp, Aurélio conseguiu votos dos quatro vereadores de oposição, dos quais três ficaram na Mesa Diretora.

Outro lado

O blog transcreve a versão de Jorge Fortes, embora ele diga que está no governo Roseana como técnico, as imagens demonstram que participou ativamente da campanha dos candidatos do grupo Sarney e de Miguel Fernandes.

Devo informar ao blogueiro, que desde outubro de 2013, ou seja, a mais de um ano deixei minha filiação no PMDB, exatamente por divergências, com o dirigente do partido em Vargem Grande (Miguel Fernandes). Não faço parte de nenhuma oligarquia e muito menos de grupo que manda no Maranhão. Ocupo sim um cargo no governo, por capacidade técnica e não por indicação política. Sou servidor público do Estado com currículo respeitado e grande experiência na área que atuo, isto é que me faz estar onde estou. Honro como filho de Vargem Grande, esta cidade, inclusive com os trabalhos que tenho prestado.
Jorge Fortes

Inscrições para seletivo do ensino médio na rede estadual começam na quarta

educacaoAs inscrições para o processo seletivo para ingresso no primeiro ano do Ensino Médio nas escolas da rede estadual de ensino começarão nesta quarta-feira (12). As inscrições serão feitas somente pela internet, no endereço eletrônico www.educacao.ma.gov.br/matricula2015, no período de 12 de novembro a 3 de dezembro. Na página, estarão disponíveis o formulário eletrônico de inscrição e o regulamento, que terá todas as informações sobre o processo, além do conteúdo programático das provas.

Este ano o processo classificatório será realizado em quatro Unidades Regionais de Educação: São Luís, Imperatriz, Caxias e Timon. Na inscrição, os alunos terão três opções de escolas, que deverão ser da mesma regional. Apenas duas escolas estaduais terão seletivos próprios: o Colégio Militar 2 de Julho, do Corpo de Bombeiros, e o Colégio Militar Tiradentes, da Polícia Militar.

No período de 18 a 21 de dezembro, os alunos inscritos deverão acessar a página da Matrícula Eletrônica para imprimir o Cartão de Confirmação de Inscrição. O exame seletivo será feito no dia 21 de dezembro, às 13 horas, com provas de Matemática e Língua Portuguesa, num total de 40 questões. O resultado será divulgado dia 30 de dezembro, e as matrículas serão realizadas na segunda quinzena de fevereiro de 2015.

Exposições e intervenções artísticas enriquecem programação da Feira do Livro

DSC_0026A Prefeitura de São Luís também ofereceu aos visitantes da 8ª edição da Feira do Livro exposições e intervenções artísticas que incrementaram a programação. A Sacada Poética e as diversas exposições contribuíram para atrair a atenção dos visitantes e envolvê-los no clima de incentivo à leitura, proporcionado com as palestras e exposição de livros. As atrações abrangeram desde o público infantil até o adulto.

O espaço para a intervenção artística surgiu durante a edição do ano passado e o sucesso alcançado motivou a organização do evento a mantê-lo na 8ª FeliS. Este ano, a atividade ocorreu na sacada central do Convento das Mercês, ponto estratégico para atrair os olhares dos visitantes da feira, recebendo o nome de Sacada Poética.

“A intervenção atraiu a atenção dos visitantes e deu aos poetas a oportunidade de divulgar o seu trabalho. A leitura dramática e a performance poética das obras na sacada central do Convento das Mercês fez com que os frequentadores da 8ª FeliS se sentissem ainda mais imersos no clima da Feira do Livro”, destacou a coordenadora artística da Feira do Livro, Camila Grimaldi.

O público da FeliS também pode conferir várias exposições. Entre as mostras estiveram os painéis de história em quadrinhos de lendas maranhenses, do professor Beto Nicácio, e fotografias de Vicente Júnior com o tema “Desterro: A cara da comunidade”. Outros espaços que atraíram a atenção dos visitantes foram as mostras multimídias: “Memória da República Brasileira”, “360 anos de História do Convento das Mercês”, “Nosso Porto do Itaqui” e “Cadê a Química”.

A 8ª FeliS contou ainda com o Espaço Sensorial, que expôs as produções realizadas por estudantes com deficiência intelectual e pelos estudantes surdos da Unidade de Educação Básica Antônio Vieira. O espaço apresentou ainda livros de literatura infantil em Braille. O Espaço Sustentável com a exposição de objetos feitos a partir do reaproveitamento de resíduos sólidos também conquistou a atenção do público.

Prefeito Edivaldo visita Feira do Livro e destaca consolidação do evento

Visita_Feira_Livro_071114_Foto_MauricioAlexandre (13)O prefeito Edivaldo visitou a 8ª Feira do Livro de São Luís (FeliS), na noite de sexta-feira (7), acompanhado pela primeira dama, Camila Vasconcelos, pela filha Talita e pelo presidente da Fundação Municipal de Cultura (Func), Francisco Gonçalves. No Convento das Mercês, durante a visita, ele conversou com o público e com escritores participantes da feira e aproveitou para avaliar a dimensão que ganhou o evento na capital maranhense. A 8ª FeliS, que teve como tema “Literatura Infantil: aqui começa a magia da leitura”, encerra neste domingo (9), com um público estimado em mais de 200 mil pessoas.

“Esta é a oitava feira do livro e a segunda que temos a oportunidade de realizar. É uma feira hoje reconhecida não somente no Maranhão, mas em todo Brasil. Este ano, optamos por abordar a temática literatura infantil, com uma grande repercussão e participação de inúmeros palestrantes e escritores. É um momento de incentivo à produção cultural e valorização da leitura, além de estimular o turismo e resgatar a importância do Centro Histórico”, afirmou o prefeito Edivaldo.

O prefeito lembrou também que a Feira do Livro favorece a política implementada em sua gestão de democratização do acesso à cultura. Ele visitou todos os estandes das editoras e livrarias locais. Em uma das primeiras paradas, no estande da Academia Maranhense de Letras (AML), foi recebido pelo presidente Benedito Buzzar com quem conversou de maneira descontraída sobre os projetos para incentivar a leitura no estado.

Ao patrono da Feira, Wilson Marques, Edivaldo reafirmou o compromisso de colaborar para o desenvolvimento da cultura da cidade e elogiou a produção do escritor. Do ponto de vista literário, Marques avalia a feira como um evento de sucesso. “Tivemos nomes importantes da literatura e palestras boas como do Frei Betto. Toda essa atmosfera que vivemos é positiva. Enfim, fizemos aqui justiça com um frequentador assíduo das feiras: o público infantil e juvenil”, festejou o autor de “Touchê – Uma aventura pela cidade dos azulejos”.

Também participaram da visita os secretários Olímpio Araújo (Esportes e Lazer) e Robson Paz (Comunicação) e o presidente da Func, Francisco Gonçalves. Para Gonçalves, a feira no bairro do Desterro proporcionou o resgate da memória e experiência da cidade pelo público visitante, ao mesmo tempo em que permitiu que estudantes experimentassem outro espaço de São Luís de grande riqueza histórica, arquitetônica e humana. Ele também destacou a ampliação das parcerias para a realização da Feira.

“Este ano conseguimos entender o processo e chamamos a Associação de Livreiros do Estado do Maranhão, Alem, para correalizar o evento. Na próxima edição, a entidade poderá recorrer a lei de incentivo estadual ou Lei Rouanet para captar recursos”, explicou o presidente da Func.

O presidente da Alem, Milton Lira, considera a feira uma oportunidade de negócios excelente para fortalecer os livreiros do estado. “Como evento, esta feira teve grande avanço por contar com palestrantes como Marina Colassanti, Maurício de Sousa e outros bons que lotaram os auditórios. E, também, prestigiamos nossos autores. Costumo dizer que o Maranhão, especialmente São Luís, continua produzindo muita obra literária, produzindo livros de qualidade”, elogiou Lira.

A programação sintonizada com o público alavancou a presença da faixa etária mais jovem. “Este ano trouxemos à feira autores com quem as próprias crianças e adolescentes tinham interesse em conversar”, constatou Francisco Gonçalves.

A estudante Helena Fernandes, 9 anos, moradora do bairro Coroadinho, foi um dos exemplos dessa ampliação do público. Na noite de sexta-feira, acompanhada da mãe, Helena visitava o estande da Editora Moderna, quando identificou o prefeito Edivaldo e pediu à mãe uma foto com o prefeito Edivaldo. “Foi o melhor lugar que estive na minha vida”, dimensionou a garota.

 

SOBRE A FELIS

A 8ª FeliS é realizada pela Prefeitura de São Luís, através da Fundação Municipal de Cultura (Func) e Secretaria Municipal de Educação (Semed), com correalização do Serviço Social do Comércio (Sesc/MA), patrocínio da Vale e apoio da Associação dos Livreiros do Estado do Maranhão (Alem) e Fundação da Memória Republicana Brasileira.

PMDB discute herança de espaços políticos deixados com a saída de Sarney

De O Globo

sarneyBRASÍLIA – O ano legislativo sequer terminou, e a bancada do PMDB no Senado já discute a herança dos espaços políticos que na última década foram ocupados por indicados do senador José Sarney (PMDB-AP). A lista de cargos é encabeçada pelo setor elétrico, com o Ministério de Minas e Energia, suas ramificações e diretorias da Eletrobras e subsidiárias. Mas a influência do ex-presidente da República se estende por áreas as mais diversas, como Saúde, com diretorias na Funasa no plano nacional e estadual; e Transportes, com cargos em superintendências regionais.

Pela capilaridade do universo de seu domínio, aliados de Sarney apostam que suas digitais devem permanecer vivas por muito tempo na esfera pública. Mas, apesar de rumores de que Sarney deseja indicar sua filha, a governadora do MA, Roseana Sarney, para um ministério do governo Dilma como forma de dar continuidade ao seu espólio na máquina federal, caciques peemedebistas veem como remota a possibilidade de o clã se manter no poder formalmente a partir do próximo ano.

Os motivos são vários. O primeiro, e mais óbvio, é a aposentadoria de Sarney, que decidiu não disputar mais eleições e, a partir de 2015, ficará sem mandato. O vice-presidente da República, Michel Temer, fez gestos ao aliado em encontros recentes, chamando Sarney a continuar participando das reuniões, almoços e jantares da cúpula do partido, mas senadores do PMDB apostam que a presença do ex-presidente será menos efetiva e mais “honorária”, e que sua atuação deverá funcionar nos moldes de uma consultoria informal para a legenda.

A segunda razão para o afastamento do senador do poder nacional é a derrota nas urnas de todo o grupo ligado a Sarney no Maranhão. No governo do estado, Lobão Filho (PMDB) perdeu a disputa para o adversário Flávio Dino (PCdoB); na eleição para o Senado, os sarneysistas também foram derrotados, com Gastão Vieira (PMDB) perdendo a vaga para Roberto Rocha (PSB).

No plano federal, a queda de um dos principais representantes dos interesses de Sarney no governo, o ministro Edison Lobão (PMDB), de Minas e Energia, é dada como certa. Lobão é um dos políticos citados na delação premiada do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa como um dos políticos envolvidos no esquema de corrupção na estatal. O ministro já sinalizou a interlocutores que deverá deixar a cadeira e reassumir seu mandato no Senado. O nome para substituí-lo não foi definido, e o PMDB teme que a pasta não permaneça com o partido.

— Sem Lobão, Sarney perde muito da influência no governo. Sarney vai continuar sendo ouvido no partido, mas sabe que política tem hora para entrar e para sair. Vai escrever o livro dele e cuidar da saúde — diz um peemedebista próximo a Sarney.

Lobão como principal representante?

Mesmo fora do ministério, a tendência é que Edison Lobão siga sendo o principal representante dos interesses da família Sarney em Brasília, a partir de 2015 no Senado. Existe a expectativa de que, mesmo enfraquecido, ele dispute as indicações para os cargos que pertenciam a afilhados do ex-presidente. Sua influência dependerá do tamanho do estrago que poderá causar o conteúdo da delação premiada sobre os escândalos na Petrobras, que pode chegar às mãos dos parlamentares em breve.

Isso porque os herdeiros familiares de Sarney, os filhos Roseana e o deputado Sarney Filho (PV-MA), podem não ter condições de dar continuidade ao trabalho do pai na política. Sarney Filho é visto pelos mais próximos como herdeiro de sangue, mas não de projetos. E políticos que participaram do encontro da cúpula peemedebista semana passada contam que Roseana — preparada por Sarney para sucedê-lo politicamente —, depois de desistir de disputar qualquer cargo nesta eleição, tem demonstrado pouca disposição para pleitear uma vaga no governo Dilma.

— Todo sinal que Roseana dá é de que quer ficar fora da política. Pode não ser algo definitivo, porque política está no sangue — conta um cacique do PMDB.

Voto em Aécio

Integrantes do setor elétrico lembram que Sarney foi sendo desidratado desde que Dilma Rousseff assumiu seu 1º mandato. Feudos desde o início do governo Lula ocupados por indicados do senador do Amapá, como a presidência da Eletrobras e a da Eletronorte, foram aos poucos mudando de mãos desde que Dilma assumiu. Mas cargos estratégicos pelo fluxo de verbas, como diretorias de consórcios de usinas hidrelétricas como Belo Monte, devem permanecer com aliados de Sarney, sob o pretexto de manter a continuidade de suas obras.

Outro episódio mais recente que conta contra a perpetuação da influência de Sarney no governo é o fato de ter votado em Aécio Neves nestas eleições. O senador foi flagrado por uma rede de TV de Macapá no momento em que digitava o número 45 na urna eletrônica. Apesar de não confirmar a escolha, aliados contam que o gesto deve contar negativamente nas pretensões de Sarney de manter sua esfera de poder no governo Dilma.

— Ele votou no Aécio e vai querer continuar participando do governo? — brinca um peemedebista.

Transporte: Artur Cabral diz que a Grande Ilha será prioridade no primeiro ano

josecabralO governador eleito Flávio Dino já se mostrou sensível às questões do trânsito e transporte dos municípios da Grande Ilha. Por conta disso, afirmou que essas duas áreas serão tratadas como prioridades a partir de 1º de janeiro, com diálogo e parcerias com as prefeituras para melhorar o setor.

Uma das inovações da gestão que Flávio Dino implantará no seu governo será a criação da Empresa Estadual de Transportes Urbanos – instituição vinculada à Secretaria de Infraestrutura (Sinfra), a ser comandada pelo engenheiro José Artur Cabral Marques.

Em entrevista, Artur Cabral fala dos objetivos específicos da Empresa, sobre parcerias com o Governo Federal e quais serão as prioridades adotadas a partir de 1º de janeiro.

 

A Empresa de Transportes Urbanos é uma inovação do próximo governador para atuar diretamente na mobilidade urbana. Já há previsão para as principais obras viárias necessárias para resolver esse grave problema?

 

Sim. É uma inovação a criação da Empresa da forma como ela vai atuar, mas já há experiências bem sucedidas similares em outros estados. A diferença básica das outras experiências é que atuaremos em todo o estado e não só na capital. Quanto às obras viárias, o que está previsto inicialmente é dar prosseguimento de forma acelerada às obras previstas no PAC da Mobilidade para o estado e ajudar o município de São Luís a implantar seus projetos de mobilidade previstos no PAC. Alguns projetos são prioridades como o Elevado da Forquilha que solucionará os graves problemas de mobilidade daquela área.

 

Como será a atuação do governo estadual quanto à execução de políticas públicas para o setor de transporte?

 

O Estado irá atuar através da empresa em todos os meios de transportes disponíveis, o rodoviário urbano e intermunicipal, o transporte de passageiros sobre trilhos e o aquaviário, responsável pelo transporte por meio de lanchas e ferry boat. Nas áreas metropolitanas ou de aglomerados urbanos, como São Luís e Imperatriz, o Estado agirá com articulador de soluções e co-gestor com os municípios na busca de soluções sinérgicas. Ressalta-se a necessidade de compatibilização de linhas urbanas, semi-urbanas e intermunicipais que hoje se superpõe na ilha de São Luís sem um planejamento único e centralizado. A regularização das concessões de linhas intermunicipais e do sistema aquaviário é uma das metas do novo governo.

 

Quais são as soluções para a mobilidade urbana na Grande Ilha?

 

Para a região metropolitana de São Luís, que se estende até Santa Rita, Icatu e Alcântara, além da implantação de um novo sistema viário que solucione os graves problemas de congestionamento, irá ser retomada a implantação do Sistema VLT com integração ao sistema de transporte sobre rodas existente. Para o sistema de transporte coletivo existente, iremos somar forças das administrações municipais de forma que este sistema seja remodelado e requalificado. Além disso, buscaremos recursos para que seja implantado um moderno sistema de informações aos usuários, além de tecnologia embarcada nos veículos. Nos primeiros 12 meses, temos a Grande Ilha como prioridade dado os graves problemas de mobilidade existentes.