Edinho dá piti no encerramento do debate Guará

Edinho dá piti contra TV Guará, pois queria direito de resposta igual ao que já havia sido concedido

Edinho dá piti contra TV Guará, pois queria direito de resposta igual ao que já havia sido concedido

O candidato ao governo do Maranhão, Edinho Lobão (PMDB) deu mais um de seus conhecidos “pitis” ao final da sabatina da TV Guará. O candidato já tinha recebido um direito de resposta porque o Saulo Arcangeli (PSTU) chamou a Refinaria Premmium de estelionato eleitoral. Como Arcangeli repetiu o termo nas considerações finais, o peemedebista queria outro direito de resposta para a mesma agressão, negado pela emissora.

Edinho então, saiu soltando os cachorros contra a TV Guará e a organização do evento. O advogado da TV Guará, Zé Antonio Almeida, foi claro com o candidato não acostumado a ouvir não: “você não está aqui para fazer regras, mas para obedecer regras estabelecidas”, afirmou.

Ele saiu reclamando e seu advogado pondo em dúvida a isenção da TV Guará. O presidente da TV, Roberto Albuquerque, reafirmou que todos os critérios foram obedecidos. “Foi julgado que seria a mesma agressão, então ele teria a mesma resposta e o Saulo iria falar novamente. A emissora seguiu á risca as regras combinadas com todos os candidatos”, afirmou.

Edinho se desvincula do grupo Sarney quando confrontado com índices e escândalos

candidatosdebateO primeiro debate na televisão entre os candidatos ao governo do Maranhão esquentou quando o candidato Edinho Lobão (PMDB) foi confrontado pelos baixos índices do Maranhão no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e o caso da propina para paga ao governo do estado para que a empresa Constran pulasse a fila dos precatórios por meio do doleiro Alberto Youssef veio à tona. Edinho tentou se desvencilhar e se afastar do governo Roseana Sarney (PMDB), afirmando que representa renovação no quadro político do Maranhão.

Quando o candidato Saulo Arcangeli (PSTU) questionou Edinho pelo modelo de desenvolvimento de seu grupo político, que governa o Maranhão há 50 anos, ele saiu do grupo. “Eu não tenho participação efetiva no governo que me apoia. Eu participei do governo meu pai [ministro Edison Lobão, que também governou o Maranhão]. Mas não me envergonho do grupo”, afirmou.

Arcangeli reafirmou que Edinho é do grupo Sarney ativamente, citando a refinaria Premmium prometida para o Maranhão pelo ministro Edison Lobão e nunca entregue. “Agora, Edinho quer se desvincular do grupo Sarney. Ele participou ativamente do maior estelionato eleitoral do Maranhão, que é a refinaria que foi prometida e foi feito festa pelo seu pai para eleger Roseana”. Edinho respondeu: “A Refinaria de Pernambuco sempre foi defendida pelos pernambucanos. Aqui torcem contra a refinaria. Aqui já foi gasto R$ 2 bilhões com a refinaria, e ninguém faria brincadeira eleitoral com este recurso”.

O candidato Flávio Dino (PCdoB) falou do caso de propina do doleiro Youssef em pergunta a Josivaldo Corrêa. Não teve oportunidade de confronto direto com o governista Lobão Filho (PMDB), que não falou do assunto. “Dói na alma ver as pessoas sofrendo no Maranhão, enquanto duas ou três famílias dão o golpe na fila dos precatórios. Os envolvidos devem ser investigados e devolver o dinheiro do povo”, afirmou Dino.

Tudo pronto para o debate da TV Guará daqui a pouco

 

Todos os seis candidatos ao governo do estado já estão na TV Guará para o debate que começa daqui a pouco, às 22h. O blog disponibilizará o link para que o leitor possa acompanhar ao vivo o debate.

Na entrada, o candidato Edinho Lobão (PMDB) disse que o debate é uma oportunidade de mais pessoas conhecer as propostas dos candidatos. “É uma oportunidade de uma grande quantidade de maranhenses olhar quem é o melhor. Debate sempre é importante para todos os candidatos”.

O candidato Flávio Dino (PCdoB) afirmou que que também esta é a chance de apresentar suas propostas. “Vamos aprobeitar para apresentar nossas ideias, nossas propostas para mudar o Maranhão”.

Participam do debate Flávio Dino (PCdoB), Edinho Lobão (PMDB), Luís Pedrosa (PSOL), Saulo Arcangeli (PSTU) e Zé Luís Lago (PPL) e Josivaldo Corrêa (PCB).

Bem ensaiado, Edinho concede primeira entrevista sem comprometer

Robótico, Edinho concede entrevista sem comprometer

Robótico, Edinho concede entrevista sem comprometer Foto: Zeca Soares/G1 Maranhão

Depois das catastróficas participações nas sabatinas da TV Guará e Rádio Mirante AM, a equipe de marketing do candidato Edinho Lobão adotou a estratégia do curto, grosso e robótico. Sempre que o candidato tenta ser mais espontâneo e atacar o adversário, o tiro saia pela culatra e ele só se prejudicava com alguma “pérola”.

Na entrevista concedida ao JMTV 2ª Edição, na TV Mirante, Edinho estreou a nova postura. Sério do início ao fim, respondeu de forma muito sucinta todas as perguntas de acordo com o script de seus marqueteiros para não comprometer. Curioso até a rapidez com a qual Edinho respondia as perguntas.

 

Ficou provado que o ar risonho e as brincadeiras que não colavam só reforçaram o aspecto de “playboy” que tem sido um entrave para o crescimento do candidato, que agora se portará como homem sério e firme nas respostas.

Edinho passou no primeiro teste, pois se não disse quase nada, pelo menos, não comprometeu.

Osmar Filho: “diretoria do sindicato usa professores em ação política”

Camara_Saude_Osmar_Foto_PauloCarua (1)O vereador Osmar Filho (PSB) utilizou a tribuna da Câmara Municipal de São Luís para falar sobre o movimento realizado pela diretoria do sindicato dos professores de São Luís, que acampou em frente à sede da prefeitura de São Luís. O socialista pediu o retorno das aulas, destacando a continuidade do diálogo, os avanços já obtidos nesta gestão e a impossibilidade do município oferecer um reajuste salarial maior. Osmar também criticou a diretoria do sindicato por estar, segundo ele, usando a categoria para ganhos políticos, uma vez que já foi demonstrada a participação ativa de políticos no financiamento e manutenção dos grevistas na porta da prefeitura.

“Não posso dizer que o movimento é dos professores, mas sim, da diretoria do sindicato dos professores, que tenta a todo tempo utilizar os professores em uma ação política. Nós sabemos que a ilegalidade da greve já foi decretada pela Justiça do Maranhão e pelo Supremo Tribunal Federal. A cidade precisa saber que esta é uma ação isolada da diretoria do sindicato, compartilhada com alguns políticos. É preciso ter responsabilidade com a população e com as famílias. O sindicato não pode se deixar influenciar pelo momento eleitoral”, afirmou.

Carro da assessora de Fábio Câmara dá assistência ao sindicato

Carro da assessora de Fábio Câmara dá assistência ao sindicato

Osmar lembrou que o Ministério Público, por diversas vezes intermediou a negociação para a volta das aulas para não prejudicar os alunos. A Justiça determinou a volta das aulas sob pena de aplicação de multa, processo administrativo e aplicação de faltas para que estas sejam descontadas dos salários.

O líder do governo na Câmara Municipal também afirmou que é pequeno o percentual de professore que aderiram ao movimento e lembrou das ações truculentas já efetuadas durante a greve. “Os professores, em sua maioria, não estão aderindo à greve. A maioria está na sala de aula, exercendo seu papel. Uma parcela mínima de professores está ocasionando tudo isto. Bloquearam a avenida dos Holandeses, bloqueando, inclusive ambulâncias. Bloquearam prédio público e impediram os funcionários da prefeitura de trabalhar”.

Para o parlamentar, foi demonstrado que o prefeito nunca se negou ao diálogo. O executivo já demonstrou que não tem condições de dar um aumento maior. A questão estrutural, também está sendo resolvida. “Várias escolas reformadas foram entregues. A escola da Cidade Olímpica foi entregue. É preciso ter paciência. São Luís paga acima do piso nacional. É uma das capitais com o maior salário. Paga inclusive mais do que o Estado. O prefeito não tem varinha de condão pra resolver de imediato todos os problemas, mas tem avançado. O prefeito valoriza a educação e as estruturas físicas. Fica o meu apelo, para que os poucos professores que ainda não retornaram às salas de aula, possam retornar”, finalizou.

Bira do Pindaré participa da VIII Romaria da Juventude em Balsas

romariaApós participar do velório e das homenagens a Eduardo Campos, no Recife, o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) viajou a cidade de Balsas para participar da VIII Romaria da Juventude do Maranhão.

De acordo com a organização do evento, mais de 30 mil pessoas participaram da Romaria, no sábado (16) e no domingo (17), que tinha como tema: “Juventude em marcha pela vida: chega de violência e extermínio de jovens”. Com uma reflexão profunda para a violência nos centros urbanos.

Jovens que representam as doze pastorais do Maranhão demonstraram fé e vontade de mudar o atual cenário de violência, em especial no Estado. A celebração contou com a presença de padres das 12 dioceses e bispos das cidades de Bacabal, Codó e Caxias.

A Romaria é uma iniciativa da Pastoral da Juventude do Maranhão e é considerada o maior evento católico de jovens no Estado. O deputado Bira, em sua juventude, militou na Pastoral da Juventude, chegando a participar da coordenação diocesana, quando representante da Pastoral Universitária.

Batista Matos contesta chefe da Casa Civil e critica falta de parcerias

batistamatos-saoluisO vereador João Batista Matos (PPS) contestou nesta segunda-feira (18), em discurso na Câmara Municipal, a posição da Chefe da Casa Civil do Governo, Ana Graziella, sobre as obras do governo em São Luís, que segundo ela, mostram o compromisso da governadora Roseana Sarney (PMDB) com o município de São Luís. Batista Matos criticou a falta de coerência do governo com a capital, por firmar diversos convênios com vários municípios e não fazer o mesmo com São Luís.

Batista Matos listou diversos convênios do governo com municípios do interior e da grande São Luís e fez um desafio a chefe da casa Civil. “Ela disse que o governo tem várias parcerias com prefeituras administradas pela oposição. Gostaria que ela citasse uma parceria com São Luís, que é a capital do Estado, cidade com maior número de habitantes e sede do governo inclusive”.

Durante o discurso, o vereador foi irônico com o comentário da secretária de que o governo do Estado não vê bandeira. “De fato, não vê a bandeira de São Luís, capital do Estado que não tem um único convênio ou projeto que esteja sendo executado em parceria com a prefeitura ou tenha sido discutido pela câmara municipal”.

Para Batista Matos, duas provas de que a postura do governo é equivocada são as avenidas Ferreira Goulart e a Via Expressa. “A gente pode errar uma vez e aprender. Não é caso desta gestão. Nos primeiros mandatos de Roseana ela inaugurou a Av.. Ferreira Goulart sem discutir nada com o município. A obra segue até hoje quase que sem nenhum efeito para a mobilidade urbana da cidade. Hoje, é a via Expressa, quase 100% concluída e que também é uma avenida quase vazia, em que o projeto foi aprovado na Assembleia como se fosse uma MA, quando deveria passar pela câmara”, comentou. “Não se discute se o governo está fazendo algo ou não, mas sim a falta de consonância, de respeito a autonomia municipal. Ninguém sabe o que é mais importante para o município do que seus representantes legais, que são a população, os vereadores que lhes representam e o prefeito por ela eleito. O governo não sabe o que é isso, dá uma ideia na telha e começa a fazer sem discussão alguma”, acrescentou.

Dois pesos e duas medidas

Por fim, Batista Matos também comentou a declaração que a governadora Roseana Sarney deu certa vez de que o prefeito Edivaldo só quer dinheiro. “É complicado uma governadora se posicionar desta forma. São dois pesos e duas medidas claramente. Tem recursos pra todos, menos para São Luís, que na verdade ainda tem é que devolver R$ 2milhões todo mês ao governo. É obvio que tudo passa pelo fato do prefeito ainda ser da oposição ao governo. A prova é que em maio, por causa dos estragos das chuvas, o prefeito declarou estado de emergência, pediu audiência com a governadora e até hoje nunca foi atendido. Se São Luís fosse um paciente na UTI esperando pelo governo já teria sido declarado o óbito, porque o socorro do governo Roseana não teria chegado. Mas esta situação tem os dias contados e o povo de São Luís que decidiu por este grupo em 2010 está anotando tudo e dará a devida resposta em breve”, concluiu.

De como as sabatinas da Mirante foram todas induzidas para ataques a Flávio Dino

Do blog do Raimundo Garrone

Muito à vontade na Mirante, Edinho não foi apertado em nenhuma questão polêmica. Como comparar com Jornal Nacional, quando Willian Bonner apertou todos os candidatos?

Muito à vontade na Mirante, Edinho não foi apertado em nenhuma questão polêmica. Como comparar com Jornal Nacional, quando Willian Bonner apertou todos os candidatos?

É enorme a capacidade da mídia sarneysista e seus asseclas em conceber o mundo a partir dos seus próprios interesses.

Dizem agora que Flávio Dino fugiu da entrevista da Rádio Mirante AM por medo de enfrentar os jornalistas do sistema com suas perguntas que extrapolam as propostas de governo, e chegam mesmo a citar como exemplo as entrevistas do Jornal Nacional, onde William Bonner e Patrícia Poeta colocaram os candidatos contra a parede.

Na série de entrevistas promovida pela Rádio Mirante AM com os candidatos ao governo do Maranhão, o que se ouviu foi ataques deliberados contra o candidato das oposições, e todos induzidos por perguntas (veja abaixo algumas delas) preparadas para tal.

A sabatina que serviria para orientar o eleitor sobre as propostas de cada candidato se transformou em campanha aberta contra Flávio Dino para beneficiar o candidato do grupo Sarney, Edinho Lobão.

Quando entrevistaram Saulo Arcangeli (PSTU), por exemplo, e quiseram saber qual o modelo de educação para o estado, a pergunta veio já afirmando que a Educação em São Luís, cujo o secretário é do PC do B, é um desastre.

Não é o caso de concordar ou não com a avaliação do jornalista. Mas o que isso tem a ver com a proposta do candidato para a Educação no estado ?

A eleição é para governador e não para prefeito. O certo seria perguntar sobre o modelo educacional do governo Roseana, que até hoje não entregou o antigo colégio Maristas.

Aliás, todas as questões deveriam ser remetidas ao governo Roseana, que é o único comparativo para as propostas apresentadas por cada candidato, e assim se saiba o que eles pensam da atual administração e digam o que precisa ou não mudar.

Mas como a família da governadora é dona da emissora, e a intenção era provocar ataques a Dino, que o fizessem a partir do seu programa de governo e não dos problemas enfrentados pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

Para completar a entrevista com Edinho Lobão foi uma excelente peça de campanha. Até mais parecia uma entrevista com assessores para passar no programa eleitoral gratuito, que começa esta semana.

Se durante a sabatina de Lobinho tivessem exercido o mesmo ” jornalismo” que pretendiam com Flávio Dino, aí não haveria o que reclamar.

Mas não. Em momento algum questionaram, por exemplo, o que ele pensa sobre as denúncias veiculadas pelo Jornal Nacional que recaem sobre a governadora Roseana Sarney, acusada de receber propina para pagar os precatórios da Constran; ou se eleito ele iria cobrar dos prefeitos as obras, objetos dos convênios milionários assinados pelo atual governo.

E isto no âmbito do interesse público, porque também poderiam partir para os problemas judiciais que enfrentou, a doméstica laranja, a pirataria com o sinal da Tv Difusora, etc.

Até mesmo quando o Lobinho respondeu sobre a renda per capita do Maranhão, uma das piores do País, e que de forma rasteira disse que o problema no estado é o tamanho da população, que se a população fosse menor do que a do Piauí, estaríamos em melhor situação. Todos aceitaram e ficou por isso mesmo.

Enquanto se sabe – e aí a sua resposta é reveladora – que o problema não é o tamanho da população, mas a prática política do grupo Sarney que beneficia poucos em detrimento da maioria. O que falta é uma política séria de geração de renda, de distribuição de riqueza, etc.

Sarney e sua trupe ao dizer que o Maranhão cresceu e é hoje um estado rico, diz a verdade.

Afinal, a turma ganhou muito dinheiro durante esses 50 anos, resultado de uma política voltada para os interesses econômicos excludentes, que no máximo rende um salário mínimo ao trabalhador maranhense, que carece de qualificação adequada.

No caso de Zé Luís Lago, que se diz herdeiro político de Jackson Lago, poderiam perguntar sobre as desavenças com o irmão ou porque ele não participou do governo Jackson, etc.

Já com os candidatos do PSOL e PSTU, deveriam esclarecer questões programáticas.

O PSTU, por exemplo, tem por regra – pelo menos até eleger um representante – que ao assumir um mandato, todos devem continuar recebendo o que recebiam antes. Quem ganha no seu exercício profissional mil reais e se elege governador com salário entre R$ 20,6 mil e R$ 21,8 mil, ficará apenas com o mesmo rendimento de antes e a diferença será entregue para o partido.

O interessante é que os candidatos do PSOL e PSTU também fizeram duras críticas ao grupo Sarney e a Edinho, mas as matérias sobre a sabatina publicadas em O Estado do Maranhão, ressaltaram apenas os ataques induzidos a Flávio Dino.

Veja abaixo algumas das perguntas dos jornalistas da Mirante, e perceba o claro intuito de atacar o candidato do PC do B, como se isso fosse uma proposta de governo.

Dino fez certo ao não participar da sabatina, que estava marcada para este sábado, já que o seu interesse é discutir os problemas do estado e o seu programa de governo.

E não servir de banquete em uma sabatina que se transformou em uma verdadeira alcatéia…

Leia algumas das perguntas feitas pelos jornalistas da Mirante

ENTREVISTADO: LOBÃO FILHO

Roberto Fernandes: E agora aproveitando o tempo, o senhor colocou aqui que é a questão das redes sociais. O papel que ela desempenha hoje, e a gente percebe uma … – Lobão Filho: um acirramento. Um acirramento aí -Gilberto Léda: Em baixo nível mesmo. A gente percebe que seu adversário tem procurado, acima de tudo, feito a opção por discurso para desconstruir a sua imagem. Como reagiria a isso?

Mário Carvalho: Bom candidato, é você já fez aí algumas explanações, colocando até a questão do baixo nível de campanha. Tudo aquilo que vem sendo colocado pelos adversários contra a sua candidatura que até em um primeiro momento diziam que não seria o candidato. E você chega aí, pelo menos a última pesquisa que foi divulgada pelo jornal O Imparcial você chega já nas casas dos 30% e começa a preocupar. 31%. Então isso mostra que o eleitorado tem assimilado nesses setenta dias a sua mensagem e isso a tendência é buscar é buscar ainda mais esse eleitorado que ainda não conhece Lobão Filho?

Jorge Aragão: Eu só queria fazer um adendo nessa questão de saúde, porque o seu adversário coloca que tem que vender a casa de veraneio do Governo do estado para poder construir um hospital do câncer. Seria necessário isso?

Jorge Aragão: Candidato, eu gostaria que a gente voltasse a debater aí, até a questão até nível nacional. Tem muita confusão e muita gente ainda não entende. Afinal de contas, a Dilma, a presidenta Dilma Rousseff que tem tido aqui no estado do Maranhão, as pesquisas tem apontado isso, tanto ela quanto Lula uma votação extraordinária, apoia o Lobão Filho, ou existe a possibilidade de apoiar uma outra candidatura aqui no e no estado? Por que o seu adversário, o candidato do PC do B, Flávio Dino, diz que também teria o apoio da Dilma e que apoia a Dilma aqui, mesmo estando com Aécio e com Eduardo Campos?

ENTREVISTA COM ZÉ LUIS LAGO

Gilberto Léda : Candidato, sabidamente que fazia esse discurso em 2010 era o ex-governador Zé Reinaldo , que na época era candidato a senador e o candidato a governador Flávio Dino que agora em 2014 é novamente candidato ao governo do estado. O senhor acha que tem relação com isso, com esse episódio de 2010 o fato de que um candidato dessa coligação a quem pertencem Zé Reinaldo e Flávio Dino terem impugnado a sua candidatura esse ano?

Mário Carvalho: Bom dia. O senhor tem se colocado aí, como o candidato, é o verdadeiro candidato da oposição. Colocando que os demais candidatos da oposição aí, são falsos oposicionistas do Maranhão. Como é que o candidato Zé Luís Lago é com um partido, vamos dizer emergente, pretende buscar essa parcela da oposição que não comunga com algumas questões que estão sendo colocadas aí por esses falsos oposicionistas?

Mario Carvalho: Oh! Candidato eu queria voltar, acho que foi o Jorge que levante essa questão da política de alianças, né de candidaturas. E nós temos aí uma determinada candidatura que se auto-intitula praticamente fazendo alianças com todo mundo, com o PSDB, é fazendo aliança com o PT é e fazendo aliança aí com o candidato do PPS à presidência, presidente do PSB à presidente da república. No seu entendimento, é já que o senhor se coloca aí como candidato da oposição, essa mistura toda, essa embolada toda não é uma tentativa de jogar o eleitor aí deixar ele meio atônito sem saber o que realmente tá acontecendo. No seu entendimento, isso é válido pra se chegar ao resultado final?

ENTREVISTADO: SAULO ARCANGELI

Gilberto Léda: Candidato, há pouco o senhor falou sobre o fisiologismo exacerbado das alianças, aí eu me lembrei rapidamente de um artigo que o professor Ed Wilson publicou há uns dois meses em que em ele analisava, ele citava um pouco dessas alianças do Flávio, ele é um dos entusiastas do Flávio Dino e ele dizia, ele dizia o seguinte, que no governo do Flávio Dino, se ele for eleito, os iguais serão tratados com desigualdade para que haja justiça. Nem todos os corruptos que ajudarem na vitória serão beneficiados com os privilégios do governo. Aqui são dois pontos: primeiro ele já admite uma vitória e segundo admite que há corruptos ajudando na campanha do Flávio Dino. O senhor acredita nessa tese de que um candidato se alia a corruptos para ganhar, mas na hora de governar ele vai deixar essa turma do lado de fora do governo?

André Martins: Bom Saulo, eu queria tratar do assunto Educação, saber qual o modelo de educação do PSTU pro estado e essa avaliação, se fala muito de mudança, com relação a essa eleição, o mote maior é mudança. Aqui na capital maranhense a gente tem visto como modelo que o PCdoB tem comandado na Educação foi um desastre, ta sendo um desastre, uma greve de professores há 86 dias, professores acorrentados na Prefeitura e parece que pode ser o modelo até pro estado que estão querendo implementar. Pro PSTU qual a mudança no sentido desse modelo de educação?

Adiada votação de requerimento para audiência com candidatos ao governo na Câmara

plenariocamaraPor iniciativa do vereador Batista Matos (PPS), a Câmara deverá promover sessão extraordinária com os candidatos ao governo do Maranhão para discutir as propostas deles para as parcerias entre o governo do estado e a prefeitura de São Luís. O requerimento de Matos seria votado na sessão desta segunda-feira (18). Porém, o vereador Chico Carvalho (PSL) pediu vista de 48 horas da matéria.

O requerimento foi muito discutido, pois, a ideia inicial era chamar apenas os dois principais candidatos: Flávio Dino (PCdoB) e Edinho Lobão (PMDB). Mas muitos pediram para que fossem convidados todos os seis candidatos.

Por medo que o candidato Edinho Lobão seja apertado pelos vereadores (especialmente Chaguinhas), Chico Carvalho pediu vista da matéria para discutir mais as regras da sessão. Medo infundado, uma vez que a maioria da Casa é composta por aliados de Edinho.

Para evitar novo pedido de vista, Batista pediu urgência da votação para a próxima segunda-feira (25).

Sessão também com candidatos ao Senado

O vereador Professor Lisboa (PCdoB) requereu uma audiência semelhante com os candidatos ao senado federal para ser realizada dia 16 de setembro. Chico Carvalho também pediu vista de 48 horas.

PF desarticula esquema de fraude em financiamento de imóveis

Agentes da PF atuaram na Dimensão Engenharia

Agentes da PF atuaram na Dimensão Engenharia

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (18), a Operação Cartago que tem como objetivo desarticular esquema fraudulento na carteira de financiamento de imóveis da Caixa Econômica Federal. Foram 18 mandatos de condução coercitiva.

A PF cumpriu 44 mandados judiciais, sendo 19 de busca e apreensão, 18 de condução coercitiva e 7 comunicações de suspensão da função pública. Participaram da ação 121 policiais federais.

A investigação verificou que empregados da Caixa criaram empresas fictícias em nome de parentes. Essas empresas passaram a ser contratadas pelo banco para prestar serviços como correspondentes bancários imobiliários. Embora fossem realizados diretamente pelos clientes, os contratos mencionavam as empresas como intermediárias. Essa situação rendia o pagamento indevido de comissões.

Foram montados escritórios de atendimento no interior das agências bancárias, utilizando espaço físico, mesas, cadeiras e até computadores da Caixa. Os empregados dessas empresas chegaram a ter acesso às senhas restritas aos funcionários da Caixa.

Em uma única agência durante o ano de 2010, verificou-se que todos os contratos de financiamento firmados eram fraudulentos. As fraudes verificadas em várias agências da Caixa totalizaram uma movimentação superior a R$ 500 milhões.

Os envolvidos no esquema criminoso responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de gestão fraudulenta, estelionato, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, advocacia administrativa, violação de sigilo funcional, inserção de dados falsos e sonegação fiscal.

O nome da operação faz alusão à queda da cidade de Cartago em decorrência da corrupção da aristocracia da cidade, durante a Terceira Guerra Púnica.

Com O Imparcial Online