Sem quadros competitivos, PMDB quer Castelo candidato sarneysta ao Senado

Foto: Paulo Caruá

Foto: Paulo Caruá

O assédio do grupo Sarney ao PSDB é grande desde que o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), se assumiu sarneysta e foi destacado para tentar convencer o tucanato a montar o ninho no Palácio. Mas com o PT praticamente acertado na chapa e a aproximação grande dos tucanos com Flávio Dino (PCdoB), as negociações haviam esfriado. O assédio voltou nos últimos dias, com a desistência de Roseana Sarney da candidatura ao Senado, que já já tinha tomado a decisão há algum tempo.

O principal gancho do novo assédio é a proposta de candidatura de João Castelo (PSDB) ao Senado pelo grupo da governadora. E a proposta tem fundamento, afinal, o tucano é de longe, mais competitivo do que os dois principais pré-candidatos do grupo Sarney, Edinho Lobão (PMDB) e Gastão Vieira (PMDB). Além de fisgar o partido com o terceiro maior tempo de televisão, Roseana teria um candidato com reais chances de disputar o Senado com Roberto Rocha (PSB), líder nas pesquisas divulgadas até o momento.

 

A jogada do governo é eleitoralmente interessante, embora, possa causar problemas com a família Lobão, desprestigiada em virtude de um candidato ao Senado que estaria chegando agora no ônibus e já sentaria na janela.

 

Mas e para Castelo? O ex-prefeito de São Luís é dos poucos políticos do Maranhão com um eleitorado fiel e uma margem segura de votação cristalizada assim como são também Epitácio Cafeteira e Edison Lobão. O posicionamento de Castelo em mais de 30 anos como adversário do grupo Sarney pesam. O fiel eleitor de Castelo ficaria meio tonto vendo o tucano no mesmo palanque do grupo que hoje desmorona politicamente e eleitoralmente.

Castelo é competitivo, mas se entrar em uma disputa ao lado do grupo que ele combateu e que o combateu com fervor por mais três décadas, poderá encerrar de maneira melancólica sua trajetória política, com uma derrota caindo de vez junto com o grupo que está encerrando seu ciclo. Nem a péssima administração de São Luís seria um final tão deprimente para sua história política, já que deve ser reconhecido que mesmo apanhando da mídia sarneysta todos os dias na prefeitura, Castelo não cedeu aos encantos do Palácio dos Leões para uma parceira institucional-política (a única que o grupo Sarney aceita fazer), o que lhe garantiria convênios melhoraria sua imagem junto á população.

É esperar para ver…

Roseana agora parte para o tudo ou nada para eleger sucessor

Roseana abdicou do Senado para tentar último suspiro na busca da eleição de seu sucessor

Roseana abdicou do Senado para tentar último suspiro na busca da eleição de seu sucessor

A governadora Roseana Sarney (PMDB) estava em uma situação muito difícil. A escolha não era nada fácil após as várias decisões ruins. Mas aparentemente ela tomou a melhor decisão desta vez, tanto para o seu ego quanto para uma última cartada na tentativa de manter o grupo no comando do estado.

Leia mais: Roseana sabe que será responsabilizada pelo grupo por ter “inventado” Luís Fernando

Roseana errou ao retirar Washington Oliveira da linha sucessória. Pelo histórico de Washington ele certamente seria fiel aos mandos da governadora quando chegasse ao poder. Além disso, conseguiu a antipatia de petistas no Estado, que esperavam ter o controle do poder por pelo menos nove meses. Roseana errou ao “peitar” todos os membros graúdos do Clã Sarney pela candidatura de Luís Fernando, o que mais à frente foi demonstrado ser um erro (mesmo com muita mídia sobre o pré-candidato e uma grande pressão política, LF não consegue avançar nas pesquisas). Por último, Roseana errou ao comprar uma briga com os deputados da base na Assembleia Legislativa, que se não fariam muito esforço para eleger Luís Fernando, agora é que não farão mesmo.

Uma vez que entortou os caminhos e deixou a situação fugir do controle, a permanência no governo foi o caminho mais sensato agora para Roseana. Ela agora parte para um todo ou nada na busca pela eleição de seu sucessor, inclusive contra muitos aliados, que sabem que em caso de eleição de Luís Fernando, a vingança será dura para os que o impediram de ser governador tampão.

A governadora pode melhorar um pouco a situação, principalmente na Assembleia Legislativa se ainda der o braço a torcer pela mudança do nome do grupo para a disputa. Mas não o fará. Foram inúmeras tentativas para que isso ocorresse, mas ela não aceitou.

Roseana era favorita ao Senado e trocou a eleição para o Congresso pela maior e mais arriscada aposta que já vez na trajetória política: eleger Luís Fernando governador. Agora, ela dedicará todas as forças e a máquina estatal para este intuito nos próximos seis meses.

Pedrinhas em março: uma tentativa de fuga a cada dez dias

Gildean Farias, de O Imparcial Online

Uma tentativa de fuga a cada 10 dias. Assim foram os trinta dias do mês de março e início de abril no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. No mês passado, mais de 180 detentos tentaram fugir de presídios do Complexo Penitenciário, em quatro tentaivas de fuga. Foram registradas tentativas nos dias 1º, 10 e 20 de março. Já no dia 30, a tentativa teve êxito, quando quatro detentos fugiram do presídio São Luís I. Terminado o mês de março, um novo plano de fuga foi executado, e dez detentos escapram do Compexo de Pedrinhas nesta quinta-feira (3).

Fuga do pátio

Dez detentos fugiram do no Presídio São Luís II na noite desta quinta-feira. De acordo com nota encaminhada pela Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap), os detentos aproveitaram que foram autorizados a lavar o pátio de banho de sol, para serrar a grade instalada no teto e fugir com o uso de uma “tereza” (corda artesanal).

Tentativas

No mês de março, mais de 180 detentos tentaram fugir de presídios do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em quatro tentaivas de fuga. Eles, porém, tiveram os planos frustrados por agentes penitenciários e forças policiais que atuam no complexo.
A primeira tentativa ocorreu no dia 1º do mês passado, quando um grupo de presos tentou fugir do Pavilhão da Reflexão do Presídio São Luís I. Eles serraram as grades de uma cela, porém tiveram os planos frustrados por policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar.

Dez dias depois, ocorreu a segunda tentativa. Presos da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) do Olho-d’Água, tentaram fugir da cela 11, do bloco Beta. Ao todo, cerca de 89 presos iriam fugir. Eles chegaram a serrar as grades das celas, mas foram impedidos por forças policiais.

Ainda no dia 10, outra tentativa de fuga foi desarticulada. Os presos cavaram um túnel com três metros de profundidade no Centro de Detenção Provisória (CDP), mas o artifício foi descoberto antes da fuga.

Já no dia 20, ocorreu a quarta tentativa de fuga, quando 90 presos tentaram escapar da Penitenciaria de Pedrinhas. Os presos do Pavilhão F1 do Complexo Penitenciário, organizaram uma tentativa de fuga durante a noite. O plano foi descoberto por agentes da Força Nacional. Eles escapariam por um buraco que estava sendo escavado na cela quatro.

Dezesseis municípios assinam Planos de Saneamento Básico e Gestão de Resíduos

ezesseis, dos 21 municípios que integram Consórcio dos Municípios da Estrada de Ferro Carajás no Maranhão – COMEFC, irão minutar hoje (04), às 16h, no hotel Veleiros, bairro Ponta d’ Areia, em parceria com a Vale S.A e Fundação Vale do Rio Doce – FVRD, os convênios referentes aos projetos de implantação dos Planos Municipais de Saneamentos Municipais – PMSBs e dos Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Urbanos – PMGIRSs.

Os 16 municípios contemplados nessa etapa são: Bacabeira, Santa Rita, Itapecuru – Mirim, Miranda do Norte, Anajatuba, Arari, Vitória do Mearim, Igarapé do Meio, Pindaré Mirim, Tufilândia, Bom Jardim, Buriticupu, São Francisco do Brejão, Itinga do Maranhão, Cidelândia, São Pedro da Água Branca.

A partir da Lei n.º 11.445/2007, a Lei de Saneamento Básico, todas as Prefeituras têm obrigação de elaborar seu Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), que tem como objetivo a universalização do serviço público de saneamento básico. Ele abrange os serviços de abastecimento de água potável e esgotamento sanitário, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos e drenagem e manejo das águas pluviais.

Sem o Plano as Prefeituras ficarão impedidas de receber recursos federais a partir do segundo semestre de 2104. A equipe técnica do COMEFC alocou para este projeto que é inédito no Maranhão, mais de vinte e cinco técnicos, especialistas entre mestres e doutores. Mais de 350 mil pessoas serão beneficiadas com a execução dos Planos.

Internautas criticam duramente nomeação de Ricardo Murad para a SSP

roseanaricardoSobraram críticas nas redes sociais e em comentários deste e de outros blogs sobre a nomeação do secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, para acumular a secretaria de segurança. O deputado estadual licenciado substitui Aluísio Mendes, que será candidato a deputado federal.

Nas redes sociais, foram muitas críticas ao fato de Murad não ter conseguido cumprir a promessa requentada inúmeras vezes de construção de 72 hospitais. Como não cumpriu a promessa na SES, por que achar que agora iria cumprir e ainda daria jeito na combalida secretaria estadual de segurança, a mais criticada do governo Roseana Sarney.

Alguns internautas de forma bem humorada, lembraram do banho de mar de Murad com as netas para provar que as praias estavam próprias para banho. Outras alfinetadas foram sobre a eterna promessa dos 72 hospitais, já avisando que Murad prometerá mais do que 72 presídios.

Claro, não se pode esquecer que se o Maranhão tem uma saúde britânica, agora, a segurança também será. Veja a charge do Blog Marrapá:

ricardo-murad-secretario-de-saude

 

Confira alguns comentários de internautas sobre Ricardo Murad na secretaria estadual de Segurança:

Ricardo Murad não entende nada de segurança e não tem material humano (policiais), vai ser que nem na saúde, só propaganda!

‏@adalbertopcjr  3 h

Ricardo Murad, secretário de Segurança. Acho que dá tempo de construir 897 presídios.

Será que Ricardo Murad vai andar sozinho, à noite, no Barreto, pra provar que São Luís é segura. Depois do banho de fezes, é capaz.

Ricardo Murad novo Secretário de Segurança do MA… E quando a gente pensa que não pode piorar… #QueDeusnosProteja

Ricardo Murad é o novo Secretário de Segurança Pública do Maranhão. Já já ele promete 72 penitenciárias!

@revistapessima: Com Ricardo Murad na Segurança o número da polícia muda de 190 para 171.

“Fuga em massa de presos em pedrinhas”. “Ricardo Murad Secretario de Segurança do MA”. Na internet é uma noticia pior q a outra…

É já que Ricardo Murad posta uma foto com as portas da casa dele abertas para dizer que não tem perigo.

 

 

Acordo deve dar fim da greve dos agentes de limpeza de São Luís

fotoPor determinação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, a administração municipal intermediou negociação entre o Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Estado do Maranhão (Seac-MA) com a empresa São Luís Engenharia Ambiental (Slea). Em reunião realizada nesta quinta-feira (03), no Palácio de La Ravardière, representantes da entidade patronal e dos trabalhadores avançaram nas discussões e a proposta apresentada pela empresa foi recebida positivamente pela comissão sindical.

O reajuste salarial proposto nesta quinta-feira representa um aumento de 6,5% para os trabalhadores, os vencimentos atuais correspondem a R$ 719,98 e serão elevados para R$ 766,77. A proposta inicial da empresa correspondia a 4% e com a mesa de negociação estabelecida pela Prefeitura o diálogo entre as duas entidades evoluiu. Outro importante avanço na reunião desta quinta-feira foi o aumento do tíquete alimentação de R$ 295 para R$ 355, representado um aumento de 20,04%.

Também foram discutidos outros assuntos como o aumento do número de agentes de coleta em cada caminhão compactador que foi positivamente atendido pela Slea, passando de dois para três. O novo reajuste salarial e o tíquete alimentação representam um ganho total acima de 10%, que tem reflexos sobre outros benefícios, como a hora extra e o adicional de insalubridade. Com isso, o salário bruto da categoria vai superar o valor de R$ 1,1 mil.

A comissão sindical se comprometeu em apresentar ainda na noite de quinta-feira os novos percentuais para a categoria deliberar sobre o encerramento do movimento paredista. A resposta dos trabalhadores será informada pela comissão sindical nesta sexta-feira (04) em nova reunião com os representantes da entidade patronal na sede da Prefeitura de São Luís.

Durante a negociação, os representantes do município garantiram da Slea que não haverá novos custos ao atual contrato com a Prefeitura em razão da negociação trabalhista e que o quadro dos agentes de limpeza não será reduzido nem sofrerá corte para adequação do orçamento da empresa aos repasses que serão feitos retroativos à data base da categoria.

Participaram da reunião os secretários Márcio Jerry (Comunicação), Rodrigo Marques (Governo) e Antônio Araújo (Obras e Serviços Públicos); o presidente do Seac-MA, Honésio Silva, a assessoria jurídica Valuzia Cunha e o agente de limpeza José Milton; o diretor operacional da Slea, André Neves Monteiro, e o diretor financeiro Marcos Silva.

Uncra garante assentamento para não índios da Terra Awá

reunião_comite_awa_flavia_silva_ascom_incra_maO juiz federal José Carlos do Vale Madeira, da 5° Vara da Seção Judiciária do Maranhão, se reuniu com representantes do Governo Federal para avaliar o andamento final das ações de retirada das famílias de não índios que ocupam a Terra Indígena Awá, localizada no noroeste do Maranhão. A reunião ocorreu nesta terça-feira (1°), às 15 horas, na Sede da Justiça Federal, em São Luís.

Também participaram da reunião os trabalhadores rurais Remi Soares Saraiva, do povoado Caju, e Antônio Moraes da Silva, do povoado Cabeça Fria. Eles representaram a comissão de trabalhadores rurais que visitou, no período de 26 a 30 de março, as áreas em Coroatá e Parnarama disponibilizadas pela Superintendência do Incra no Maranhã para assentar as 225 famílias desintrusadas, que se cadastraram junto à autarquia para serem beneficiárias da reforma agrária.

Durante a reunião, os dois representantes relataram ao juiz que a comissão foi composta por cinco trabalhadores rurais, com a participação de grupos dos três maiores povoados que compõem a Terra Indígena Awá: Caju, Cabeça Fria e Vitória da Conquista. Segundo informaram ao magistrado, das duas áreas oferecidas pelo Incra eles escolheram o assentamento São José/São Domingos, localizado no município de Parnarama.

Visitas da comissão

“Gostamos muito da área que o Incra disponibilizou em Parnarama. No começo a gente achou que era ruim, mas depois que visitamos a área, vimos que o Rio Itapecuru margeia uma parte do assentamento, que já existem outras famílias produzindo lá e fomos muito bem recebidos pelos assentados”, enfatizou Remi Saraiva em seu depoimento ao juiz.

Já Antônio Moraes da Silva, do povoado Cabeça Fria, disse que a notícia de que a terra em Parnarama é boa já está se espalhando entre as famílias cadastradas e, segundo acredita, mais da metade dos cadastrados está disposta a ir para o local. “Na nossa visita ao assentamento vimos que lá as famílias plantam em lotes coletivos. Estamos dizendo ao Incra que iremos para Parnarama, mas queremos a demarcação individual dos lotes”, ressaltou.

Para o superintendente regional do Incra no Maranhão (Incra/MA), José Inácio Rodrigues, a decisão da maioria de ir para Parnarama demonstra que o trabalho técnico da autarquia na escolha do local foi acertada e atende aos reais interesses do grupo, que é o de desenvolver-se e viver com segurança e dignidade. “O Incra no Maranhão já vai providenciar apoio para o acampamento provisório das famílias, logística de transporte até a área e a infraestrutura básica para instalação das delas”, disse.

Prorrogação de prazo

Na reunião, o coordenador-geral de Movimentos do Campo e Territórios da Secretaria Nacional de Articulação Social, da Secretaria-Geral da Presidência da República, Nilton Tubino, informou que a operação de desintrusão será prorrogada até o dia 20 de abril.

“Precisamos de mais alguns dias para retirar as 28 famílias que ainda estão no povoado Vitória da Conquista, fechar alguns ramais de estradas, colocar placas indicando os limites da reserva indígena, enfim, fazer os últimos acertos”, explicou Tubino, lembrando que toda a rede elétrica existente dentro da TI (postes, transformadores e fiação) será retirada pela Companhia Energética do Maranhão (Cemar) após esse prazo.

Também será dada nova oportunidade às famílias de não índios que foram notificadas pela Justiça Federal, mas que não procuraram o Incra/MA para se cadastrar. “Vamos disponibilizar novamente servidores para fazerem o cadastramento dessas famílias, a fim de que não sejam prejudicadas”, afirmou o superintendente regional, José Inácio Rodrigues.

Nova reunião do Comitê

O juiz federal José Carlos do Vale Madeira agendou para o dia 24 de abril, às 15h, na sede da Justiça Federal do Maranhão, a próxima reunião do Comitê de Acompanhamento da Desintusão da Terra Indígena Awá. O prefeito de Parnarama, Davi Carvalho, será convidado a participar. O objetivo é sensibilizá-lo a apoiar essas famílias que serão deslocadas para o município.

“O município precisa apoiar esta ação, construindo escolas, postos de saúde, melhorando as estradas de acesso ao assentamento. Essas famílias precisam ter acesso às políticas públicas para se manterem na área”, explicou.

Também participaram da reunião na Justiça Federal o procurador da República Alexandre Soares, representantes da Advocacia-Geral da União, Funai, Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazôni (Censipam), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional e Companhia Energética do Maranhão (Cemar).